domingo, 7 de agosto de 2011

Gisleandro, o Ungido

Nos anos que antecederam minha conversão, trabalhava cuidando de uma idosa no Brás, dona Setembrina, uma católica fervorosa. Todo o dia na casa de dona Setembrina era dia de terço; a velha enchia a casa de incenso e imagens de santos, e vinha aquela romaria de orações (mandingas). Parecia uma casa de macumba. O trabalho me trazia humilhação, mas já dizia a Bíblia, que o trabalho dignifica o homem, e o torna merecedor de seus ganhos (todos os 80%).

Pois bem, o Jessé, meu primo, apareceu um dia trazendo um folheto.

"Vamos pra igreja, irmão!"

Era a famigerada noite do desencapetamento da Igreja do Primeiro Impacto. Todo mundo sabia quando ocorria, pois dizia-se que os demônios fugiam pra dentro da casa dos católicos e espíritas - eu podia jurar que uma vez havia visto um adentrar pela janela de dona Setembrina, e sair levando um videocassete.

"Isso não é golpe, não? ouvi dizer que pastor é tudo ladrão!"

Leiam as besteiras que eu dizia n'outros tempos. Mas Jessé me aconselhou a ir lá, que Deus me apareceria como revelação. Concordei.

A noite do desencapetamento era um verdadeiro evento. O saguão da igreja lotava-se de vozes e os sons das guitarras gospéis dos Querubins do Reteté, toda a gente saía e entrava extasiada do Espírito Santo, alguns rodopiando e dançando freneticamente. Muito lindo. Chegada certa hora do culto, o pastor voltou-se ao microfone e perguntou quem era novo na igreja, para distinguir-se dentre os outros. Eu e mais meia dúzia levantamos a mão; ele então mandou que subíssemos ao altar. Era como um presságio.

Lá em cima, ele nos desafiou: se nossa Fé era muita, o suficiente para entrar pelos umbrais do Reino dos Céus, devíamos trazer uma oferta para o próximo culto. Ele então prometeu que um magnífico evento ocorreria em virtude deste ato de sujeição à Deus! Maravilhado, retornei para casa, as palavras do pastor indo e voltando, serpenteando meus pensamentos.

Naquele mês eu estava mui apertado. Não tinha dinheiro nem para cobrir as contas. Mas eu havia feito uma promessa para o Senhor e havia de cumpri-la. Furtivamente surrupiei o dinheiro da aposentadoria de Dona Setembrina, com o cuidado de deixar parte dele para não levantar suspeitas. Levei os mil e quinhentos reais para a noite do desencapetamento.

Não sabia eu, porquanto, que meu ato malandro seria notado. A filha de dona Setembrina apareceu naqueles dias para indagar porquê o dinheiro já havia se esgotado. Dei de inventar uma história mirabolante, mas não convenci. Acabei enrolando a mulher, dizendo que o dinheiro era para uma cadeira de rodas novas, importada dos Estados Unidos, para que dona Setembrina saísse para a rua e pudesse ver os passarinhos. Ainda incrédula, a mulher aceitou, muito contrariada. Temi ser encarcerado, pois a filha de Setembrina era uma adevogada de grande presença no meio jurídico, e facilmente me botaria em cana, mesmo por um menor deslize como aquele. Dei-lhe um prazo de chegada da cadeira e escapei da situação.


Mas onde arrumaria a tal cadeira de rodas? Fui à noite do desencapetamento seguinte, decidido a perguntar ao pastor, que era homem dono de autoridade e indubitável sabedoria e poderia, com o esclarecimento das palavras, desfazer a desagradável confusão.

Mas chegando na igreja, tive outra idéia: reparei que havia muitos cadeirantes chegando na igreja para subir ao altar e receber a cura. Todos os domingos vários aleijados andavam, ao vivo e a cores, de modo a convencer os mais céticos. Não faria mal se surrupiasse uma das cadeiras. Sabia que uma vez que subissem ao altar, aqueles deficientes voltariam a andar imediatamente, e o produto roubado não lhes faria falta.

Foi o que fiz: com um golpe de jiu jitsu derrubei um dos cadeirantes, e saí arrastando a cadeira de rodas pelo saguão da igreja. Para meu espanto, o homem começou a correr atrás de mim, gritando: "pega ladrão! pega ladrão!". Toda a congregação encheu-se de fervor e começou a cantar um Reteté santo, pois o cadeirante nem percebera que já podia andar, e bem, as pernas musculosas como a de um atleta. Aproveitei a distração e tomei chá de sumiço.

No domingo seguinte, fui recebido com uma ovação, e já era conhecido como milagreiro.

Alguns dias depois, dona Setembrina faleceu. Deixou, transcrito no testamento, todas as suas posses (em torno de R$ 300.000,00) para a Igreja, supostamente católica. Como não havia muito esclarecimento, dei um jeito com o Pastor Clodoaldo Malafaia, naquela altura já um adevogado prestigiado na OAB, para que a igreja em questão fosse a evangélica. Como eram as intenções da mãe deixar o dinheiro para a causa religiosa, a filha não atrapalhou. Nem pude acreditar naquela oferta maravilhosa que agora dispunha a igreja. Como recompensa pelos meus esforços, Pastor Clodoaldo me deu o cênzimo (1%), ou seja, R$ 300,00. Que maravilha! quem diria que eu ainda ia sair lucrando! É a matemática divina do Nosso Senhor!

Tornei-me um obreiro afamado. Até hoje, curo, apenas com o toque de minha mão, qualquer deficciente! Deus é Pai!

Obreiro Gisleandro

30 comentários:

Pedro Lucas disse...

nossa que merda!!!
o cara rouba(o que é pecado) pra da pro pastor!!!
esse Clodoaldo Malafaia é um filho da puta de um ladrão safado que se aproveita da inocencia de pessoas que só querem resolver seus problemas pra encher o bolso de dinheiro.
não acredito que li isso
só pode ser fake, porque se não é safadeza demais

Matthaeus Braga da Silva disse...

uma calúnia atrás da outra já denunciei esse blog uma vez mas pelo visto o blogger é uma merda mesmo calúnia e difamação passam e não fazem nada.Vo ter que mandar fechar o site ai vocês vão pregar a religião de vocês lá na casa do caralho.

Anônimo disse...

hauhauhauha
os ímpios me divertem!
vão rezar pro deus de vocês, o diabo!
Deus é maior, tolos!

Tod disse...

tentar acabar com praticas religiosas é crime, acionarei nossos adevogados de cristo.

Princesa Leia disse...

Glória D-us!
Só acho que ele deveria dar os 300 reaus (o 1% de 300.000) todo para a IPI, que deu una guinada de 360 graus na vida dele né?

joey disse...

Ae tod vc não pode fazer nada ate pq adevogados não existem,mais existem advogados... que estariam contra vc por calúnia

obreiro anacleto de piracicaba/sp disse...

O irmão devia ter dado o vínzimo sobre o cênzimo, porque é dinheiro que ele ganhou, e todo o ganho tem uma oferta correspondente. 1% de 300 mil eh 3 mil, entao ele devia contribuir com 600, como ele ganhou 300, fica devendo a outra metade. Se nao fizer isso, Deus vai cobrar, na hora do juizo!

joey disse...

tod pq vc segue um blog chamado"UDR no seu cu. Muita azaração e bjo na bok'?

Tod disse...

evangelizar

Jeff disse...

A paz! Como tem gente BURRA que visita esse blog. Puta que pariu. Será que não entenderam o espírito (no pum intended!) da coisa?

joey disse...

ta tod finjo q acredito...

joey disse...

tirou o blog pq tod?

Anônimo disse...

ohhhh,o pastor falo palavrão,que coisa feia,deus n vai gostar disso

joey disse...

o blog q vc tava seguindo eh claro

Tod disse...

sim, vi que nada foi postado naquele blogue, logo não tem nada pra evangelizar la

Tod disse...

joey, es varoa ou varão?

Pastor Santiago disse...

Glórias! Que testemunho maravilhoso!

joey disse...

Sou homem tod

joey disse...

Tem preconceito contra mulher Tod?

Tod disse...

claro que não, o problema é que elas não são tão inteligentes quanto os homens e por isso devem ser guiadas pelos maridos.

Anônimo disse...

Pônei maldito, pônei maldito,
Venha com a gente atolar!
Odeio barro, odeio lama,
"Que nojinho!"
Não vou sair do lugar
"Muaa..! Te quiero!"
PÔNEI MALDITO, PÔNEI MALDITO, LALALALALALALÁ
PÔNEI MALDITO, PÔNEI MALDITO...
LALALALALALALÁ!

omeletedeovoderinoceronte disse...

Tem gente que acha que isso NÃO é um blog de humor HAHAHAHAHAHAHA! Isso é mágico.

Anônimo disse...

Bom é os cara da lulzsec jejejejejejejejejejejejejejejejejejejejejejejejejejeje

Matthaeus Braga da Silva disse...

Eu tenho maior respeito pelos evangélicos mas eles insistem em achar que são donos da verdade agora uma pergunta,Se os homossexuais gostam de homens e daí?Falando mal não vai adiantar nada mesma coisa falar de espírita o que fizeram de mal pra vocês nenhum católico cria blog para falar mal dos crentes mais como vocês não tem nada pra fazer vem falar da vida dos outros. Fora a maldita lavagem cerebral desse blog entra gente que escreve advogado e quando sai desse site ja esta falando adevogado.Tenha miséricordia de vocês mesmos.

Anônimo disse...

Lindo!

Poliana de Jesus disse...

Testemunho ungido por demais!

quanta unção vesti lagremas de emossao

joey disse...

tod isso parece preconceito... mais falando do q me interessa vcs não vão voltar a falar calunias de bandas de rock não né?

Anônimo disse...

desgraçados ainda bem que essa porra é fake

Caçador de-crentes #3 disse...

Glórias irmaos fakes sigam a odin

Anônimo disse...

KKKKKKKKKKK!!! Sensacional, chorei litros de tanto rir!!! Se o Gisleandro quiser, ele monta uma escola de pastores e os ensina seus excelentes métodos de roubo... digo, de pregação da Palavra do $enhor! kkkkkkkkkkkkkkkk

Postar um comentário